domingo, 23 de março de 2014

O que é o Marco Civil da Internet e como ele pode impactar nossas vidas

Em alguns dias será votado na Câmara o PL 2126/11 que se propõe a regular direitos e deveres dos cidadãos e provedores de acesso à internet no que tange ao uso da rede.

Tendo como válvula motora a espionagem dos EUA, a fim de aumentar a segurança dos dados que circulam pela rede, o governo quer que todos os data centers de provedores de internet ,que prestam serviços no Brasil estejam dentro do país, proporcionando maior controle. Porém isto acarretaria altos custos, que certamente seriam repassados aos usuários. Este ponto parece estar sendo flexibilizado, e seria admitido que data centers possam operar fora do país, desde que se submetam à lei brasileira.

Porém, entre a sociedade civil, o ponto mais polêmico é a neutralidade da rede. Como o maior controle acarretará maior custo, as telecomunicações (Vivo, Oi, Tim, TV Globo, etc) exigem o fim da neutralidade, com isso, nossa relação com a web seria diretamente afetada, pois os provedores poderiam vender pacotes diferenciados de acesso à internet, como já é feito na internet móvel. Isso se deve ao fato de eles gastarem muito mais para que você possa ter acesso a um vídeo na internet, do que mandar um e-mail, por ex. Neste modelo, haveriam pacotes similares aos da TV por assinatura, e seríamos obrigados a pagar preços diferenciados para ter acesso mais amplo. O pacote básico poderia, numa hipótese, dar acesso apenas a serviços de e-mail, e seríamos obrigados a pagar mais caro para acessar, por exemplo, o Youtube.

Pois é, demorou tanto para que pudéssemos ter uma verdadeira democracia digital e querem tirar isso de nós. Quantas pessoas estudam pela internet, trabalham. Só que isso atinge diretamente os veículos de comunicação, pois hoje não precisamos ficar em frente a TV e sermos massacrados por novelas fúteis e programas sem conteúdo, podemos fazer nossa própria programação, assistimos o que queremos e quando queremos. E as empresas de telefonia então, conversamos com todos e ainda usamos câmeras para a conversa ficar mais agradável.

Concordo que tenhamos que ter regras para impedir a troca de informações confidenciais, mas se o site ou o provedor não consegue ter o mínimo necessário para que isso aconteça, então que o tirem de circulação, eu é que não posso ser punida, ter que pagar mais caro para garantir o funcionamento de um provedor ou site ruim.

É a Copa está aí e cortar o maior ponto de encontro que são as redes sociais, é a melhor forma de resolver o problema com os protestos, é bem sugestivo!!!!

Postagens populares